[23/09/2008] • 9 comentários

"Um dia a maioria de nós irá separar-se. Sentiremos saudades de todas as conversas fúteis, das descobertas que fizemos, dos sonhos que tivemos, dos tantos risos e momentos que partilhámos. Saudades até dos momentos de lágrimas, da angústia, das vésperas dos fins-de-semana, dos finais de ano, enfim... do companheirismo vivido.

Sempre pensei que as amizades continuassem para sempre. Hoje já não tenho tanta certeza disso. Em breve cada um vai para seu lado e, seja pelo destino ou por algum desentendimento, segue a sua vida.

Talvez continuemos a encontrar-nos, quem sabe... nas cartas que trocaremos. Podemos falar ao telefone e dizer algumas tolices... Então, os dias vão passar, depois meses... anos... até este contacto se tornar cada vez mais raro. Vamo-nos perder no tempo ...

Um dia os nossos filhos verão as nossas fotografias e perguntarão: "Quem são aquelas pessoas?" Diremos... que eram nossos amigos e... isso vai doer tanto! -"Foram meus amigos, foi com eles que vivi tantos bons anos da minha vida!"

A saudade vai apertar bem dentro do peito. Vai dar vontade de ligar, ouvir aquelas vozes novamente… Quando o nosso grupo estiver incompleto... reunir-nos-emos para um último adeus a um amigo. E, entre lágrimas, abraçar-nos-emos.

Então faremos promessas de nos encontrar mais vezes daquele dia em diante. Por fim, cada um vai para o seu lado para continuar a viver a sua vida, isolada do passado.

E perder-nos-emos no tempo..... Por isso, fica aqui um pedido deste humilde amigo: não deixes que a vida passe em branco, e que pequenas adversidades sejam a causa de grandes tempestades...

Eu poderia suportar, embora não sem dor, que tivessem morrido todos os meus amores, mas enlouqueceria se morressem todos os meus amigos!"


Fernando Pessoa

9 comentários:

Zef disse...

Fogo é mesmo bem escolhido o texto...
è daqueles pensamentos que prefiro não ter... mas que sempre te passam pela cabeça... negar que seja assim não é o melhor... mais vale esforcareste para atenuar...

e já agora podes marcar uma verdade cumprida na sede do mce ( aquele proposta do jantar... lembras te tavas do meu lado direito )

Mariana Marques disse...

Comecei a ler o teu post e pensei logo de seguida que afinal o blog não estava morto! Continuei a ler e a saborear cada palavra... Pensei como é que ele, de repente, conseguiu ler o meu estado de alma?

Nunca fui defensora acerrima de que todas as amizades iriam perdurar durante toda a minha vida (há uns dias perguntei-me a mim mesma onde estariam as pessoas com quem estudei no ciclo...nenhuma está ao meu lado e/ou sabe onde estou agora!).

Luto ou tento lutar para que as mais importantes continuem vividas e a dar os seus frutos.

Nunca se perguntaram sobre quem vos REALMENTE conhece? Pode ser uma pequena pista........


***

Elsa* disse...

Haja alguém com coragem:)

Alguém que mostra que passa aqui e deixa marca! E que marca!

Por falar em encontros, há um jantar a realizar!!!

E um café a tomar:)

Rafa disse...

É algo que me assusta este texto, mesmo para com as pessoas do dia a dia...penso como tenho lidado, como deveria lidar com a amizade que nos une...é estranhamente assustador...

zef...por acaso até era do lado esquerdo...mas eu percebi-te e lembro-me perfeitamente. vai ser com prazer que o faço...(ainda bem que me lembras-t...pra eu começar a pensar nisso)
Quanto aquela outra história..ja falei com o Gonçalo...existe uma possibilidade de ser algo bem mais fixe..eu depois explico-te melhor..deixa-me ver onde isto vai parar :)

o Cenaculum está parado...3 respostas em 3 dias só mostra que não deixou de ser ponto comum...continuemos nós até ao regresso dos outros...

Zef disse...

tens razão... eras do lado esquerdo... nem tentei puxar pela memória :)

fico a espero da novidade... então

Carlita* disse...

Saborear cada palavra como dizias Mariana, saborear e sentir um arrepio na espinha, um calafrio bom de tão verdadeiras que são estas palavras... já sinto esta realidade a cada diz que passa e por isso tb já temo o futuro! Seremos nós capazes de mudar tudo isto que parece inevitável?
Terrivelmente assustador, mas terrivelmente desafiante ao msm tempo! Não?! ;)
Obrigada pelo "abanão" Rafa! Já fazia falta algo assim neste espaço!

Há um jantar a marcar é bem verdade Elsa... agora que as férias terminaram para a grande maioria podemos pensar nisso com carinho! =)
Outubro está aí repleto de oportunidades de encontros e reencontros!

Alx disse...

ups
ups
ups
naquiko que a responsbiliadade for minha, sorry...


ida estou sem net na nova casa... vai daí tem sido difícil dinamizar o blogue...
quanto ao jantar, tem-me sido difícil conciliar as poucas datas disponíveis com
esse mega acontecimento...
mas que vai haver vai...


entretanto AMIGOS
nao duvido que o que existe entre~nós, poucas coisas conseguirão abalar,,,,,


desculpem os erros: foi a correr!!!!

lua de inverno disse...

rafa,
nao consigo ler este texto do pessoa e ficar indiferente. ele tem um bocado esse efeito em mim, sobretudo quando escreve em nome próprio ou do bernardo soares, mas... este texto, em particular, mastiga-me por dentro a cada palavra. não consigo deixar de sentir uma culpa terrível pelos bons amigos que já não vejo regularmente nem de me questionar em relação aos que se afastaram sem que eu pudesse fazer alguma coisa contra isso.
se descobrires uma solução para o desencontro de vidas, let me know...

[beijinhos para todos,
rita mota*]

Rafa disse...

Maia...exijo a tua participação mais vezes :)

gosto de te ter por cá*

Enviar um comentário