[08/03/2012] • 10 comentários

não é que me faltem ideias (ainda não); mas, às vezes, fico com a ideia que a minha matriz inicial se vai sobrepondo aos assuntos que realmente possam interessar debater aos leitores/escritores/promotores/inventores deste espaço de partilha...

vá lá, digam das vossas "questões" que eu encarrego-me de as tornar assunto de discussão entre nós!

10 comentários:

Elsa* disse...

ser adulto não é fácil! eu sei que já devia ter ultrapassado esta fase. mas ainda não.
não é um lamento, é uma constatação.

Zef disse...

Eu sinto o mesmo que a Elsa e também gostaria de debater esse assunto, e similares.

Outro assunto que gostaria de ver debatido, porque me preocupa, é a quantidade de informação que actualmente temos de lidar/absorver/adquirir, havendo uma clara tendência para que se agrave. Sinto que a condição humana (pelo menos a minha) chega a um limite, e que nos querem cada vez mais optimizados, mas apenas de uma forma utilitarista.

Andreiita disse...

estou a experienciar agora o inicio da vida dos ditos crescidos para a sociedade, ao mesmo tempo a migração de casa dos pais e a exigência do trabalho em saber um bocadinho de tudo o que se passa no nosso pais e no mundo... por isso acho óptimas as sugestões da elsa e do zef ;)

Das primeiras vezes que vim aqui estavam a falar do que tinhamos na nossa mesinha de cabeceira, o que de facto me fez perceber que ate diz um bocadinho de nós... já passou um bom tempo, tenho curiosidade, o que estará nas vossas mesas agora, um reflexo de pessoas diferentes? ;)

Alx disse...

isto começa a compor-se:
-ser adulto não é fácil;
-transformar informação em conhecimento;
-na minha mesa de cabeceira;


mas ainda se caietam mais uma tantas dicas....

Elsa* disse...

caietam?
já me fizeste procurar significados.
descobri que há uma banda com esse nome.

Não encontro nada muito esclarecedor...

é faltar ideias concordantes ou para gerar concordância?

Esta palavra é das difíceis e tem conhecimento profundamente histórico por trás...

P'lo que a andreiita diz lembro-me de outro tema: formas de aprendizagem ao longo da vida. nossa predisposição e capacidade para realmente o fazermos e as consequências práticas disso.

Zef disse...

Elsa também não entendo e pelo que tentei ver, não fiquei muito esclarecido...

Acho que era interessante falar de depressão, porque provavelmente é a doença do mundo moderno. Acho que ainda se fala pouco, em relação ao peso que ela tem na sociedade e se desvaloriza as causas e os efeitos dela.

Alx disse...

não é CAIETAM mas sim ACEITAM: provavelmente um problema de dislexia mas não deixa de ser um termo que pode inspirar, com alguma provocação, uma atitude de quem não aceita ficar quieto... deitar ideias para o lixo porque nunca as tornou conhecidas/discutidas...

e esta hein!?

Elsa* disse...

olha... CAIETAM é um bom tema também.

Tb concordo que sobre depressão também há muito a discutir e a Dizer para se perceber!

espera-se que mais gente de manifeste ou avança-se...?

Rafa disse...

eu Caieto todas as propostas =)

além disso, somo mais um ponto:
vez após vez insistimos nas coisas...ou porque é "o último esforço"...ou porque ainda não tentámos a sério...ou porque "agora é que é"...e a questão que me tenho colocado, nas mais diversas áreas é: quando parar de tentar/insistir/forçar/apostar/não desistir...

é que a quantidade de repercussões que isto tem é enorme...desde o estado da nação até um simples continuar a teimar que "a galinha não atravessou a estrada, esta é que deslizou por baixo da galinha"...

Mariana disse...

Tenho andado a pensar neste novo desafio há alguns dias e proponho o seguinte tema:

crenças: em que é que acreditamos/o que defendemos

Enviar um comentário