[20/06/2008] • 5 comentários

Desculpem por ter chegado atrasado... mais uma vez! Este é um vício que tento mudar quase todos os dias mas nem sempre corre muito bem!... Embora a época seja um pouco conturbada não quis deixar de aceitar o desafio porque tenho sentido bastante falta destas andanças. A reflexão que propunha para a recta final desta semana é exactamente sobre tempo. Não aquele tempo do "Tá frequinho e tal!" mas um tempo em sentido mais lato, o Nosso Tempo. Uma das questões diz respeito à frequência com que usamos a desculpa “tempo” para camuflar outras desculpas socialmente menos aceites. Por outro lado: Será que somos vítimas do que nos impõem e por isso corremos ou temos vontade planeamos e escolhemos?
Os meus dias têm sido passados com a ideia de que quase tudo o resto para além da escola é perca de tempo e tenho verificado que a dedicação quase exclusiva à escola não se tem reflectido em maior produção. Tem dado sim lugar a um certo vazio que ainda não consigo explicar muito bem.

Os desafios que lanço para este final de semana e que gostaria que partilhassem são os seguintes:
Desafio teórico: Nesta semana quantas vezes utilizaram o tempo, ou a falta dele como desculpa para deixarem de fazer alguma coisa importante para vocês ou para outros?
Desafio prático: Gastar tempo a fazer algo que já não fazem há muito tempo ou com alguém com quem já não estão há muito.

5 comentários:

Elsa* disse...

hum.... hum... :)

ultimamente, n tenho utilizado a desculpa "não tenho tempo". Estou mais bruta e agora digo logo "não quero! Não posso! Não me apetece! Isso agora não faz parte das minha prioridades!". Será que "não tenho tempo" é sinonimo disto tudo?
A maioria das vezes acredito que sim.
Contudo, é inegável que o tempo é FINITO e as escolhas vão tendo de ser feitas. Deixando, é claro, como é próprio, muitas frustações:). A mim acontece-me muito! Mas aqui a "falta de tempo" não é desculpa! É antes condição biológica (ou como o Rafa diria: é a cama a gritar!).

sobre o tempo "LATO" há um texto muito "MUITO" que fala sobre o tempo de cada tempo.
Abilio, podes dar a referência ou colocá-lo mesmo aqui? (Tlx seja bom para o JULGAR):)
**********

Rafa disse...

tas-me a caluniar :)

Alx disse...

Eclesiates 3, 1-8

Para tudo há um tempo, para cada coisa há um momento debaixo dos céus:
tempo para nascer, e tempo para morrer; tempo para plantar, e tempo para arrancar o que foi plantado;
tempo para matar, e tempo para sarar; tempo para demolir, e tempo para construir;
tempo para chorar, e tempo para rir; tempo para gemer, e tempo para dançar;
tempo para atirar pedras, e tempo para ajuntá-las; tempo para dar abraços, e tempo para apartar-se.
Tempo para procurar, e tempo para perder; tempo para guardar, e tempo para jogar fora;
tempo para rasgar, e tempo para costurar; tempo para calar, e tempo para falar;
tempo para amar, e tempo para odiar; tempo para a guerra, e tempo para a paz.


Será este o Texto? Aqui fica...

Mariana Marques disse...

O conceito a utilizar é produtividade e não produção... São duas coisas bem diferentes... (Aqui fala a economistas :D)

A minha desculpa é "também tenho andado ocupada, sempre de um lado para o outro". Bem sei que é sinónimo de "não tenho tempo..."

BAH!

Catarina disse...

Sou daquelas pessoas que pensa que há tempo para tudo e normalmente não me desculpo com o tempo. Quando quero fazer algo tento remediar o tempo ou estendê-lo com o rolo da massa mas a época de exames é lixada.
Não me lembro da ultima vez que dormi sem o despertador ao lado, nem de ter acordado a pensar que era um dia diferente. Já passaram quase dois meses e eu ainda aqui, na mesma rotina diária - o estudo.
Não tenho tempo para ir a Portugal, para passear, para ir beber um copo ou simplesmente não fazer nada. Há muito tempo que não tenho tempo para mim..e não é esse o que mais falta faz?
Encontro dias bons, em que o tempo que estudei valeu a pena mesmo com a perda do tempo para outras coisas; mas há outros em que bato com a cabeça na parede porque o tempo de estudo não rende e também não faço mais nada, por medo do peso de consciência com qual ainda não aprendi a lidar.
A minha mãe diz: "há tempo para tudo, não podes dormir só 5horas nem ficar a noite toda a estudar" mas nem eu sei porquê é que isso acontece. O tempo passa demasiado rápido e a matéria continua acumulada...
Admito que estou em desespero numa luta contra o tempo - já não o consigo aproveitar.
Que Deus me ajude e que segunda-feira eu tenha um bilhete de avião para ir aproveitar o tempo a casa.

Enviar um comentário