[03/11/2009] • 6 comentários

“ Não podes produzir confiança, da mesma maneira que não podes criar humildade. Ela existe ou não. A confiança é fruto de um relacionamento em que sabes que és amado. Como não sabes que te amo, não podes confiar em mim” (A cabana, WM. Paul Young)


Acreditando que todos os sentimentos provem de duas bases distintas – o amor e o ódio, tenho a certeza que amar e acreditar provem da mesma base e aparecem muitas vezes entrelaçadas no nosso dia-a-dia.
Há que acreditar; num novo projecto, numa nova pessoa ou em nós mesmos e isso requer um gosto por aquilo que se faz ou em que se acredita. Não é só quando acreditamos e amamos que nos damos realmente? E damos a Deus, amor e muito mais, acreditamos nele. Porquê? Será que sentimos, ouvimos ou simplesmente nos disseram que era assim?
Porém há outras alturas em que acreditamos em coisas sem termos qualquer sentimento terno por elas. A sorte por exemplo; será que acreditamos realmente ou jogamos desejando tê-la? E o diabo, em que todos acreditam e lhe sentem ódio (só se o amarmos por estar longe de nós). Acreditamos em fantochada para nos fazer sentir bem, amanha será sempre um dia melhor que hoje.
Acreditar implica amar? Provavelmente não. Ou existe ou não existe amor, talvez nem essa decisão dependa do nosso consciente. Fora isso…cada um acredita no que quiser.

_______
- Se acreditar em Deus implica ama-lo? Sim. É parte de mim, sou parte dele - o que existe é amor, e quem ama acredita. Deus é o meu companheiro, faz-me rir, embala-me, consola-me e ouve-me sem julgar. Amo-o sem razão, sem conseguir explicar como. Mas quando amamos cuidamos e isso reflete-se na nossa preçe, na preocupação em ouvi-lo, em perceber o que pensa de nós, em mostrar-lhe que o sentimos. Como mostramos? Quem acredita e ama a Deus tem um brilho no olhar, cuida da relação que tem com Ele e tem pequenos gestos que fazem toda a diferença - Para uns é o facto de ir a Igreja que simboliza o amor, para outros uma meditação, ou cumprir os mandamentos de Deus; há quem leia a bíblia e quem peregrine.
Eu acredito e amo o meu Deus e não sei explicar porquê.

6 comentários:

Catarina disse...

Não sei ao certo que tipo de texto era suposto escrever e sendo a primeira tive que arriscar. Espero que esteja dentro daquilo que me foi proposto (se não estiver posso reescrever).

Alx disse...

A minha dúvida, e que gostaria de ver respondida por ti é: acreditar em Deus implica amá-Lo!? Se sim, como!? Afinal, como se pode mostrar que se ama a Deus porque acreditamos...

Alx disse...

após os
-------

fizeste-me tremer, de novo e ainda.

Obrigado

(há palavras, também, nos ainda não baptizados, que me fazem tremer... e isso é bom)

The Clerk disse...

Amar implica acreditar

Catarina disse...

Fiquei este tempo todo a pensar no teu comentário... Achas mesmo que ainda me vou baptizar?

Fabi disse...

Gostei muito de te ler! Sabe bem ouvir a tua voz, como se enamorada estivesses por este Deus que é comum a todos nós. É por Ele que continuamos Juntos! E sabe tão bem!

Enviar um comentário