ap
[07/03/2008] • 3 comentários

É quase um frequentador quase anónimo desta sala de refeições. Falo do Augusto Ascenso Pascoal. Sr. Pe. Pascoal, mas quem o conhece. Dr. Pascoal para quem o conheceu, como eu, há muitos anos, 25 para ser mais certo. Esta posta é para ele, mas não vou falar sobre ele. Apenas quero referir a deliciosa proposta que ele fez nesta reflexão.

Reunirmos a uma mesa já é por si, uma boa razão para a reunião. Se a mesa tiver qualquer coisita em cima, melhor. E se "falarmos, falarmos, de olhos nos olhos, abertos sem complexos, como janelas das nossas almas; para que se possa ver a beleza que está lá dentro e que muitos dos nossos discursos escondem", isso já é um pedacinho de céu na nossa vida.

Não há nada melhor que a fantasia de um velho - sábio e contador de estórias, acrescento - para fazer duma sala de refeições um recanto sagrado.

3 comentários:

alx disse...

Declaro a minha total disponibilidade para aceitar a proposta. Independentemente do que estiver sobre a mesa... Aliás, mais uns meses, ofereço o que aí se poderá pôr: -espero estar para breve um regresso à cidade que me viu crescer...
Neste contexto, não há ressentimentos. Há experiências. Há reflexões. E há, posso dizêlo, uma pequena revolta. Que não é contra ninguèm, diga-se. Seja contra esse rica maneira de ser que tende a tentar esquecer o que outros conseguiram conquistar. De outro modo, o que sinto, penso, sei, vivi, sinto-o, penso-o, seio-o e vivo-o como não sendo meus mas de um nós que só tem a ganhar com essa descoberta e com o confronto reflexivo desse caminha feito. Em Igreja, Às vezes, parece-me que temos medo dessa abertura...
Acredito que seria um bom Consultor religioso... -mas não sei se isso interesseria a alguém., a começar pelas mais eclesiásticas pessoas... -e é isso que por vezes pode parecer... "macabro"!!!


Reflexões à parte, temos de marcar esse momento à mesa das conversas nada utópicas...

Anónimo disse...

Vou tentar escrever mais algumas linhas... a ver se estas não se perdem, como tem acontecido a tantas outras, porque os meus conhecimentos de informática ficam muito por cá e para cá...
O últomo texto era um comentário-complemento ao texto do P.A., com o qual, no dia da mulher, queria homenagear todas as que se têm cruzado comigo na vida; mas sobretudo a primeira de todas, aquela que, com o mesmo carinho com que me gerou e me trouxe no ventre, me ensinou a descobrir o que é importante na existência, e, com as palavras e os gestos, mais com estes do que com aquelas, afastou do seio da família - com uma maioria de homens - toda a veleidade discriminatória.
Perdeu-se esse texto: minha mãe diria que eram coisas do mafarrico... talvez sim, talvez não.
Seja como for, gostaria de de dizer que continuo a sonhar com o tal encontro, olhos nos olhos... procurando apenas aprender... porque, quanto mais velho estou, mais ignorante e desejoso de aprender me sinto.
Com muito casrinho
AP

alx disse...

AP

uma proposta: não perde nada em escrever os seus textos primeiro no Word e depois copiá-los para aqui... assim mesmo que houvesse qualquer problema infomático (onde se inclui algum desconhecimento e nem sempre o jeito mais apurado, grande metáfora!!! eheheh) facilmente conseguia recuperar o "aparentemente" perdido. E ganhávamos todos: nós com o inicialmente inspirado e o Sr. com menos faltas de paciência...

Enviar um comentário