[18/02/2008] • 4 comentários

Se eu fosse um cheiro seria de terra molhada, porque não conheço cheiro maior.

E se fosse um som seria trovoada, porque me faz lembrar a força que existe em nós e que nem sempre se vê.

Se tivesse de escolher uma música que cantasse toda a minha verdade seria ”Velha infância” dos Tribalistas, porque, também, ajudou mudar a minha vida para melhor. Sem dúvidas.

E se escrevesse uma auto-biografia chamar-se-ia certamente.”Coitadinho de mim se não for eu e a Graça de Deus Nosso Senhor”, porque acho que todos nos esquecemos do que podemos ser e ajudar os outros a ser. Com Ele. Sem espinhas.

Se eu fosse uma causa/uma missão seria: Estilista do clero português. Não que tenha dotes. Mas há maneiras de parecer (cá fora) que podem fazer muito lá e cá dentro.

E se fosse uma direcção seria o Norte porque o desnorte me inquieta.

Se me convidassem hoje para um baile de máscaras, o disfarce perfeito seria de Ideiafix(e), porque acho piada ao nome, apesar de ser de cão.

Se fosse um calçado queria ser qualquer um mas com tacão. Todos os outros me parecem des-personalizados. É, acreditem, para mim a parte mais importante do meu vestir (melhor, calçar). Mais do que outra peça me fazem sentir bem, ou nem por isso. Taras!!!

E se fosse uma árvore seria um chaparro porque temos de ser duros com algumas cabeças duras (além de ser um óptimo desejo de auto-defesa).

Das obras de arte que conheço, e ainda daquelas que já ouvi falar, queria ser, quase de certeza, O Grito de Edvard Munch, porque este mundo precisa, cada vez mais, de quem grite com outros pulmões. Acredito.

Se eu fosse uma palavra seria CUMPLICIDADE por solidariedade e, sobretudo, convicção.

Se fosse um verbo só podia ser CRIAR porque os laços precisam dele.

Se eu fosse uma história infantil seria o Popeye. O anti-herói. Um cromo que tem o coração do tamanho do mundo. E para quem, na minha perspectiva, os espinafres não são mais que umas doses excessivas de estupidez natural.

E ainda se fosse uma personagem tirada de um filme/livro de desenhos animados seria o Luky Luke porque a rapidez sempre me fascinou (e me caracterizou). Ajuda a antecipar. Coisas. E tempo. É arte.

Se fosse um personagem histórico seria Freud porque não consigo deixar de ler o mundo (...) com o pouco que sei dele.

E se fosse uma cidade seria LEIRIA, porque a maior parte dos amigos continua por lá. E foi lá que milhares de cumplicidades aconteceram e hão-de continuar por esse mundo fora.

Se eu me pudesse sentar num sofá em qualquer parte do Mundo, o meu sofá estaria exactamente onde está neste momento. Aqui por casa. Junto de quem partilho as partes mais íntimas da vida e em frente da janela para o mundo, onde, em momentos de alguma calma, vou percebendo o que se passa lá fora.

Se eu pudesse escolher um momento da minha vida para ilustrar tudo o que sou, o momento era um acidente de automóvel quando tinha 18 anos. Ensinou-me mais do que tudo o resto na vida. Da nossa grandeza (real e imaginada) e da nossa fragilidade (real e concretizada).

Se me perguntassem o que é isto do Cenáculo, eu dir-lhe-ia que é uma alucinação colectiva. Das boas. E pronto.

4 comentários:

alx disse...

Se puderem visitem e comentem. É de uma colega da ana. vou tentar convencê-la a pôr o texto dela aqui no cenáculo.

http://dias-longos.blogspot.com/2008/02/se-eu-fosse.html

Eeyore disse...

:) Fui convencida. Mas acho que isto vai dar um comentário um pouco longo!

--

Se eu fosse um cheiro seria CANELA porque me faz lembrar os bolinhos natalícios que enfeitam as mesas no dia 25 de Dezembro pela manhã, enquanto se abrem as prendas com uma grande alegria no ar.

E se fosse um som seria uma GARGALHADA porque há uma certa magia no acto de rir com vontade.

Se tivesse de escolher uma música que cantasse toda a minha verdade seria GROOVIE KIND OF LOVE (Phil Collins) simplesmente porque de momento estou apaixonada, e é tão bom...! :)

E se escrevesse uma auto-biografia chamar-se-ia certamente MAKING OF ME porque seria exactamente isso que seria o livro - como eu me transformei na pessoa que sou hoje... e porque títulos em inglês são fashion! :P

Se eu fosse uma causa/uma missão seria QUALQUER COISA TIPO UNICEF porque as crianças são o futuro deste mundo, e é cruel ver como muitos as tratam...

E se fosse uma direcção seria EM FRENTE porque, quando na dúvida, segue-se em frente... Eventualmente chegaremos onde queremos!

Se me convidassem hoje para um baile de máscaras, o disfarce perfeito seria DE FANTASMA porque por baixo do lençol, nunca ninguém saberia quem era aquela personagem que passou a noite num canto porque não sabia dançar.... :P

Se fosse um calçado queria ser UMAS PANTUFAS porque são quentinhas, fofas e muuuuito confortáveis.

E se fosse uma árvore seria uma SECÓIA porque árvore mais alta não há, e lá do alto a vista deve ser fantástica.

Das obras de arte que conheço, e ainda daquelas que já ouvi falar, queria ser A NONA SINFONIA DE BEETHOVEN porque ouvi-la faz arrepiar! :)

Se eu fosse uma palavra seria UAU! porque é simples, e exprime um mundo de emoções em simultâneo, algures entre o fascínio e o encanto.

Se fosse um verbo só podia ser SORRIR porque "Sorri, e o mundo sorri contigo!"

E se houvesse uma frase que descrevesse tudo o que encerro dentro de mim seria "IF YOU DON'T HAVE A DREAM, HOW CAN YOU HAVE A DREAM COME TRUE?", pois é realmente a perspectiva de ver os nossos sonhos conretizados que nos leva a fazer os grandes actos das nossas vidas.

Se eu fosse uma história infantil seria A CINDERELA porque afinal, os sonhos tornam-se realidade! (vem um pouco ao encontro da frase...)

E ainda se fosse uma personagem tirada de um filme/livro de desenhos animados seria O HOBBES (do calvin e hobbes) porque é simplesmente amoroso em tudo o que diz ou faz.

Se fosse um personagem histórico seria EU MESMA porque posso não vir nos livros de história dados na escola, mas sou uma pessoa importante no pequeno universo de meia dúzia de outras pessoas, e por isso não queria ser mais ninguém. (Demasiado orgulho próprio? Talvez....)

E se fosse uma cidade seria HUM (na Croácia) porque é a cidade mais pequena do mundo... com muito espaço para crescer, portanto! :)

Se eu me pudesse sentar num sofá em qualquer parte do Mundo, o meu sofá estaria NO TOPO DO EVERESTE porque estar no pico mais alto do mundo deve ser uma experiência fantástica... mas teria que ter um cobertor bem quentinho! :)

Se eu pudesse escolher um momento da minha vida para ilustrar tudo o que sou, o momento era QUANDO TELEFONEI PARA A MINHA MÃE A DIZER "ENTREI EM MEDICINA!", porque foi um dos momentos mais felizes da minha vida, e porque pude partilhar essa felicidade com a pessoa que mais a merecia ouvir, pois nunca ninguém me apoiou tanto num sonho... e hey, porque, mais uma vez, os sonhos tornam-se realidade! :)


E, se me perguntassem o que é isto do Cenáculo, eu diria que é um espaço muito aberto, onde um grupo de amigos decidiu, um dia, partilhar ideias e revolucionar um pouco a blogosfera, e onde eu venho de vez em quando, quando me apetece desanuviar um pouco das complicações do dia a dia.

Obrigado a todos vós por terem criado este espaço! E, já agora, obrigado Abílio, por me teres convidado a deixar aqui este (GRANDE!)comentário. :)

alx disse...

sê bem vinda. vais ver que isto é pessoal com um tanto ou quanto de loucura,mas todos muito lúcidos...

E obrigado, entre outras coisas, obrigaste-me a conhecer HUM!!!

alx disse...

noutro sítio:
www.silver-drop.blogspot.com

Acho giro o (pequeno ou grande) efeito que estas coisas têm nas nossas (e noutras) vidas...

Enviar um comentário