[18/04/2008] • 3 comentários

Quando eu nasci, tinha, numa casa pequenina, à minha espera 6 pessoas: pai (Joaquim - 40 anos), mãe (Maria-39 anos), 1 irmã (Paula) com 14 anos e 3 irmãos (Nelson, Hugo e Helder) com 12, 11 e 7 anos respectivamente. Sou, portanto, a mais novinha. E, portanto sempre tive todos muito interessados em mim, mas como eramos muitos numa casa pequena num tempo, também ele pequeno, não tive o mundo a girar à minha volta!:). O que me foi permitindo viver com espaço para brincar muito com a família dos amigos (Marisa, Paulinho, Marta, Nélson...).

Destes tempos, lá de casa, lembro as lutas (em horas de ponta) pela única casa de banho, ou a minha perna, infalivelmente, em cima da perna do Hugo na hora das refeições. Se me apanho distraída, ainda hoje faço isso. Agora, também com o Ricardo.

Entretanto, O Hugo casou com a Suzy e nasceu a Laura (que tem 7 anos), O Nélson casou com a Sónia e nasceu a Bruna (que tem 5 anos), a Paula casou com o Cristóvão e nasceu, primeiro a Mariana (4 anos) e depois o Pedro (meu afilhado, com 2anos), do Joaquim ( o meu pai (à antiga)) ficou a memória (já fez 4 anos), O Helder casou com a Benilde e ainda não nasceu ninguém.

Agora, cá em casa somos duas! Ou então, somos muitos, em dias especiais. E à medida que o tempo passa, as saudades da familia vão crescendo! O sentido que lhe dou, vai consolidando e sinto mesmo falta deles. Dos meus sobrinhos então... para falar deles... teria de me sujeitar às agressões do Rafa (no que diz respeito ao tamanho dos textos...:)).

3 comentários:

Joaninha* disse...

Na minha antiga casa também haviam essas lutas em horas de ponta para ir à casa de banho! :D

fizeste-me rir com essa eheh

Fabi disse...

Parabéns pela família grande unida! Adoro ver assim uma família numerosa com muitas crianças... quem sabe um dia também vou ter uma assim!

Anónimo disse...

Gostei imenso deste quadro familiar, que, apesar da diferença de gerações, é muito parecido com o meu, onde havia (havia, repara, joaninha)muitas lutas, mas não pela casa de banho... naquele tempo, as coisas resolviam-se de forma mais silvestre!... O compartimento antepassado da casa de banho estava reservado às mulheres ( e como só havia duas...). Mais algumas diferenças: eu era o sexto filho, e vieram mais quatro... Dez, ao todo, ainda que só seis tenham atingido a idade adulta.
Era uma casa de homens, mas foi espantoso como nunca percebi qualquer assomo de machismo... Grande mulher, a minha mãe! Extraordinária inteligência, a de meu pai!
Um abrço do AP

Enviar um comentário